QUIZ 07 RESPOSTAS – QUALIDADE EM EXAMES DE RM CARDÍACA

Antes de trazermos a resposta para o QUIZ 07, vamos a algumas dicas úteis para que você obtenha um gráfico de ECG com qualidade:

  • Proporcione um bom contrato entre a pele e os eletrodos (lembrando que os eletrodos utilizados precisam ser compatíveis a RM).
  • Utilize o gel adequado durante a colocação dos eletrodos e caso necessário, realize tricotomia (raspagem dos pelos) na região.
  • Garanta que a região esteja seca e limpa.
  • Não reutilize os eletrodos. Sempre utilize eletrodos novos.
  • O posicionamento dos eletrodos pode variar de acordo com o fabricante do equipamento de RM. Verifique o posicionamento adequado descrito do manual do equipamento ou orientado pelo especialista de aplicação.

Alguns pacientes com malformações ou cardiopatias severas podem apresentar um ECG de difícil interpretação ou indetectável pelo sistema de RM. Nesses casos, uma alternativa é utilizar a leitura por pulso periférico.

  • IMPORTANTE:
  • Não use o sinal ECG para fins de monitoramento ou diagnóstico.
  • Siga as recomendações de Segurança para RM afim de evitar acidentes e queimaduras.

Efeito Magnetohidrodinâmico. Influência na Qualidade do gráfico de ECG!!

Quando um paciente é colocado no campo magnético da RM, a elevação da onda T do gráfico de ECG é observada. Esta elevação pode ser tão acentuada que a onda T se torna realmente maior que o complexo QRS. A onda R também pode ser reduzida em amplitude e apresentar-se ocasionalmente invertida.

Este efeito de campo magnético no ECG não se origina no próprio coração, mas representa uma tensão sobreposta dentro do sangue na aorta torácica descendente que foi induzida pelo seu fluxo no campo magnético. A indução de uma voltagem em um fluido condutor fluindo através de um campo magnético é um fenômeno conhecido como magnetohidrodinâmico (MHD).

No sangue, especificamente no plasma sanguíneo, encontramos íons que estão se movendo lateralmente aos vasos. A força do campo magnético B0 faz com que esses íons se movam perpendicularmente à direção do fluxo sanguíneo e se acumulem próximos às paredes dos vasos sanguíneos, esse  é o efeito magnetohidrodinâmico (MHD) e resulta em uma tensão (corrente) mensurável que perturba o sinal do ECG que tendem a elevar a onda T e deprimir a onda R.

Fatores como densidade, viscosidade do sangue, pressão sanguínea aórtica, posicionamento do paciente no magneto e Campo B0 são fatores influenciadores para o efeito MHD.

A tensão induzida pelo MHD distorce o ECG gravado, mas não produz efeitos indesejáveis no fluxo cardíaco ou sanguíneo. Seu único significado clínico potencial é que pode causar elevação ou depressão do segmento ST e, assim, mimetizar ou mascarar a isquemia cardíaca durante o exame de ressonância magnética.

Também deve ser notado que o efeito nas ondas R e T varia dependendo se o paciente é colocado primeiro na cabeça ou com os pés primeiro no scanner e se o paciente está deitado ou em decúbito dorsal. Em algumas orientações, ondas T invertidas (em vez de aumentadas) podem ser registradas.

 

Deixe um comentário